Trivium

O Curso Trivium de Introdução ao Conhecimento rememora o modelo de formação acadêmica da Idade Média, período em que surgiram as primeiras universidades e os alunos iniciavam seus estudos com três matérias consideradas básicas para o desenvolvimento de qualquer pesquisa: Gramática, Lógica e Retórica.

Trivium quer dizer “três vias” ou “três caminhos”, que correspondem aos percursos possíveis para avançar em direção a um conhecimento mais completo e articulado com outros campos do saber.

Partindo de um breve histórico do surgimento das disciplinas de Gramática, Lógica e Retórica, que mostra como passamos do latim ao português, quem foram os filósofos gregos que pensaram a razão como um conceito, além das diferenças entre retórica, argumentação e oratória, o curso busca estimular o aprendizado interdisciplinar e a transformação social mediante o ensino aprofundado, porém acessível, das questões fundamentais que permeiam cada matéria.

No módulo de Gramática, os alunos aprenderão o surgimento da Gramática na Grécia, aspectos históricos do nascimento da língua portuguesa e da linguística, introdução à morfologia, classes de palavras, e como se relacionam com as categorias aristotélicas. No de Lógica, viajaremos para o tempo de Heráclito, Zenon e Platão, discutiremos a importância da Revolução Copernicana na construção da Filosofia Moderna e a função da lógica na sociedade e cultura contemporâneas.

Por fim, no módulo de Retórica, estudaremos os fundamentos da retórica, suas bases históricas e sociais, as teorias da argumentação e várias técnicas de oratória.

O curso é aberto a todos os interessados, com ou sem formação nas disciplinas ministradas.

Para quem é o curso

N

Para quem gosta de métodos de aprendizado interdisciplinares

N

Para quem quer aprender com especialistas do Direito, da Filosofia e da Língua e Literatura Portuguesa

N

Para quem se interessa pela formação acadêmica clássica

N

Para quem aprofundar seus conhecimentos integrados

POR QUE PARTICIPAR DO CURSO TRIVIUM

N

Para aprender conhecimentos básicos de gramática, lógica e retórica

N

Para exercitar a escrita, a reflexão e a fala

N

Para articular saberes de diferentes áreas

N

Para refletir sobre epistemologia na prática

O que mais você vai encontrar no curso

N

Mais de 15h de conteúdo

N

Slides apresentados nas aulas

N

Acesso a renomados professores

Coordenador

Q

Alysson Leandro Mascaro

Alysson Leandro Mascaro é jurista e filósofo, professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e doutor e livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP. Advogado em São Paulo, implantador e professor emérito de várias instituições de ensino superior pelo Brasil. 

É autor, entre outros livros, de “Filosofia do Direito”, “Introdução ao Estudo do Direito” (Ed. GEN-Atlas), “Estado e Forma Política” e “Crise e Golpe” (Boitempo Editorial), além de muitos artigos e livros traduzidos para várias línguas. 

Alysson Leandro Mascaro  

SUPERVISORES

Q

Walfrido Warde

Walfrido Warde é Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, bacharel em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Master of Laws pela Universidade de Nova York.

Doutor em Direito pela Universidade de São Paulo, quatro vezes pesquisador bolsista no Max-Planck-Institut für ausländisches und internationales Privatrecht, autor de dezenas de livros e artigos e autor do best seller “O espetáculo da corrupção”. Presidente do IREE.

Walfrido Warde

Q

Rafael Valim

Doutor e mestre em Direito Administrativo pela PUC-SP, onde lecionou de 2015 a 2018, atualmente é professor visitante na University of Manchester (Inglaterra), na Université Le Havre Normandie (França), na Universidad Panamericana (México) e na Universidad de Comahue (Argentina).

É Diretor Cultural do IREE, membro do Instituto Internacional de Derecho Administrativo, do Foro Iberoamericano de Derecho Administrativo e do Instituto Brasileiro de Direito Administrativo. Advogado e parecerista.

Rafael Valim

Professores

Q

Alysson Leandro Mascaro

Alysson Leandro Mascaro é jurista e filósofo, professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e doutor e livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP. Advogado em São Paulo, implantador e professor emérito de várias instituições de ensino superior pelo Brasil. 

É autor, entre outros livros, de “Filosofia do Direito”, “Introdução ao Estudo do Direito” (Ed. GEN-Atlas), “Estado e Forma Política” e “Crise e Golpe” (Boitempo Editorial), além de muitos artigos e livros traduzidos para várias línguas. 

Alysson Leandro Mascaro  

Q

João Carlos Kfouri Quartim de Moraes 

Formado em Filosofia e Direito pela Universidade de São Paulo, professor de Filosofia na USP (1965-69), em Paris VIII-Vincennes (1971-79) e na Universidade Estadual de Campinas (a partir de 1982), João Quartim de Moraes é doutor de Estado pela Fondation Nationale de Science Politique da Academia de Paris, com a tese “Les militaires et les régimes politiques au Brésil: 1889-1979″, defendida em 1982. Publicou dezenas de livros e artigos, sobre a origem da dialética, a concepção aristotélica do tempo, a cosmologia e a ética materialistas de Epicuro e Lucrécio, as origens feudais do liberalismo e os paradoxos da democracia, os fundamentos filosóficos do marxismo e de suas conexões com a teoria da evolução. Publicou na Inglaterra “Dictatorship and Armed Struggle in Brazil (1971), depois reeditado nos Estados Unidos e na Itália, “A esquerda militar no Brasil”, em dois volumes (1991 e 1994), e quatro estudos da “História do marxismo no Brasil” (em seis volumes).  

João Quartim de Moraes 

Q

Thaís Nicoleti de Camargo 

Thaís Nicoleti é graduada em português e linguística pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP e licenciada pela Faculdade de Educação da mesma universidade. Atuou de 2000 a 2022 como consultora de língua portuguesa da Folha de S. Paulo, onde mantém um blog que leva seu nome. Na década de 1990, criou e apresentou o curso de gramática do programa Vestibulando, da TV Cultura, de São Paulo. Autora dos livros Redação Linha a Linha (Publifolha, 2004) e Uso da Vírgula (Manole, 2004), participou da elaboração das últimas edições do Manual da Redação da Folha de S. Paulo e tem muitos textos publicados na imprensa sobre a língua portuguesa. Criadora do blog Português Claro e da newsletter Língua em Forma, atua constantemente na divulgação de conhecimentos da língua portuguesa. Oferece consultoria e treinamentos em empresas e, como professora convidada, ministra curso de redação acadêmica na disciplina de Metodologia do mestrado profissional em Direito da Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. 

Thaís Nicoleti de Camargo 

Estrutura do programa e
detalhamento das aulas

 

 Módulo Gramática

Professora: Thaís Nicoleti de Camargo – Jornalista, escritora e professora de Língua Portuguesa

 

Apresentação da disciplina

 A gramática é, por assim dizer, o coração do Trivium, uma vez que seu conhecimento está na essência da organização das ideias. Neste curso, será apresentado um panorama do surgimento da gramática na Grécia e da história da língua portuguesa, que nasce do latim. Serão abordados também aspectos da história do pensamento linguístico, que, de sua origem no campo da filosofia evolui para a abordagem científica, própria da linguística. Filosofia, gramática e linguística são diferentes formas de olhar para o fenômeno das línguas, que se complementam e proporcionam caminhos para a investigação dessa peculiar manifestação do espírito humano.

 

Aula 1

O surgimento da gramática

Breve histórico do surgimento da gramática. As primeiras gramáticas gregas e latinas, que inspiraram a tradição que perdura até os nossos dias.

Aula 2

Do latim ao português

Breve percurso histórico da passagem do latim ao português. O latim vulgar. As línguas românicas. Invasões na Península Ibérica. Formação do português. Influências de substrato e de superstrato. O galaico-português. Primeira gramática do português.

Aula 3

Da gramática à linguística

Aspectos da história do pensamento linguístico. A gramática e a ciência da linguagem (a linguística). Saussure. Chomsky e sua leitura da gramática de Port-Royal. Norma culta e norma-padrão no Brasil.

Aula 4

A fonética e suas relações com as demais partes da gramática

As partes da gramática (morfologia/ sintaxe/ fonética e fonologia). O aparelho fonador. Diferença de timbre e de posição do acento tônico. Acento afetivo e acento intelectual. Mudanças fonéticas. Epêntese (ou suarabácti), síncope e aférese. Haplologia. Crase. Fonética e acentuação gráfica.

Aula 5

Introdução à Morfologia

Estrutura das palavras (radical, sufixo e prefixo). Sufixos de aumentativo e diminutivo (graus do substantivo). Usos afetivos do aumentativo e do diminutivo. Diminutivo e aumentativo depreciativos. Diminutivos eruditos. Falsos sufixos.

Aula 6

As categorias de Aristóteles e as classes gramaticais

As categorias de Aristóteles. As classes de palavras em português: substantivo, adjetivo, artigo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição, conjunção, interjeição.

Aula 7

O substantivo: flexões de gênero e número

Gênero do substantivo. Desinências que indicam gênero. O papel do artigo na indicação de gênero. Comuns de dois. Sobrecomuns. Epicenos. Número do substantivo. O coletivo. Pluralia tantum. Outros termos que se usam no plural.

Aula 8

Do verbo à sintaxe

Categorias verbais: tempo, modo, número e pessoa. Verbos nocionais e relacionais. Predicação (sujeito e predicado). Verbos de ligação, intransitivos e transitivos. Complementos verbais. Adjunto adverbial.

Aula 9

Estudo do léxico: arcaísmos e neologismos

Arcaísmos semânticos. Arcaísmos fonéticos e flexionais. Arcaísmos sintáticos. Neologismos. Estrangeirismos. Neologismo por empréstimo. Aportuguesamento. Os gramáticos ante os galicismos e anglicismos. Gíria. Siglas. Neologismo por analogia. Neologismos com autoria conhecida.

Aula 10

Português no Brasil, em Portugal e na África

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). As línguas crioulas. O português nos vários países em que é falado: semelhanças e diferenças. Seleção lexical, léxico diverso, significados diversos para as mesmas palavras, diferenças nos planos sintático, morfológico e fonológico. Usos típicos.

Módulo Lógica

Professor: João Quartim de Moraes – Professor de Filosofia na UNICAMP

 

Apresentação da disciplina

O logos: palavra e razão. A tríplice origem da dialética: Heráclito, Zenon, Platão. Primeiras formalizações lógicas: o silogismo (Aristóteles), as regras de inferência (Crisipo). Questões da lógica medieval; o nominalismo e o estatuto metafísico dos universais.

Impacto filosófico da revolução cosmológica de Copérnico, Galileu e Kepler. Descartes: a dúvida metódica e a rejeição da “Escola” (=a tradição aristotélico-tomista). Leibniz: o projeto de uma “ideografia universal”. A física matemática. Kant: a dialética transcendental e os limites do conhecimento. Hegel: a lógica do devir. A dialética materialista e a evolução orgânica.

A lógica matemática contemporânea e a filosofia da linguagem. A ideografia de Frege; a axiomática do cálculo proposicional; a distinção entre denotação e significação. A análise de Bertrand Russell sobre a estrutura linguística do pensamento filosófico. A lógica na sociedade e na cultura contemporânea.

 

Aula 1

Do logos à lógica

Significados básicos de logos: palavra (do verbo légein =dizer) e razão. A unidade complexa do signo sonoro e/ou gráfico correspondente e do significado (=a ideia) a que eles remetem. O logos desencarnado: as ideias em si de Platão. A analítica do logos no Organon de Aristóteles. A comunicação pela palavra como atualização da essência humana.

Concorrência nos filósofos medievais entre os termos dialética (adotado no trivium) e lógica para designar dos princípios e regras fundamentais do pensamento. A consolidação moderna do estatuto da lógica como disciplina científica. Conexões com o simbolismo e com a linguagem.

Aula 2

Dialética: o devir e as ideias

Dialética, como logos, formou-se a partir do verbo légein (=falar, dizer). A ideia de relação (prefixo dia). Dialegein: troca de palavras ou de argumentos. A universalidade do movimento (Heráclito). Os paradoxos do infinito (Zenon de Elea). A busca das essências (=ideias em si) pelo confronto de definições opostas (Sócrates e Platão).  O lugar da dialética no aristotelismo: busca dos primeiros princípios.

Enquanto disciplina do trivium medieval: ensino da arte do raciocínio por contraposição de tese e antítese na busca de uma possível síntese.

Aula 3

Esquema da História da Lógica

A sistematização dos escritos lógicos de Aristóteles: das categorias à teoria da demonstração. Os estoicos: leis da inferência. Questões da lógica medieval; o nominalismo e o estatuto metafísico dos universais. Impacto filosófico da revolução cosmológica de Copérnico, Galileu e Kepler. Descartes: a dúvida metódica e a rejeição da “Escola” (=a tradição aristotélico-tomista). A lógica de Port Royal: os esquemas geométricos da razão. Leibniz: o projeto de uma “ideografia universal”; a álgebra de A. Morgan e a de G. Boole. A física matemática.

A lógica matemática contemporânea e a filosofia da linguagem. A ideografia de Frege; a axiomática do cálculo proposicional; a distinção entre denotação e significação. A análise de Bertrand Russell sobre a base linguística do pensamento filosófico.

Aula 4

Primeiras formalizações lógicas: demonstração e inferência

Aristóteles: Esquemas da demonstração. O silogismo universal afirmativo: se todo B é A e todo C é B, então todo C é A.  Figuras e modos. Axiomas e necessidade das conclusões. As “leis supremas” da razão: identidade, não contradição e terceiro excluído.

As cinco regras de inferência dos estoicos. As duas primeiras: Se A, então B; ora, A, então B (se há fumaça, então há fogo; há fumaça, então há fogo). Se A, então B; ora, não (há) B, então não há A (não há fogo, então não há fumaça).

Aula 5

Querela dos universais e nominalismo na lógica medieval

As origens da chamada querela dos universais nos pensadores da Grécia clássica e na obra de Porfírio. A filosofia platônica, empenhada em refutar o relativismo dos sofistas, sustentou a realidade das ideias em si mesmas, erigidas em essências perenes. A filosofia aristotélica fez descer as ideias à natureza, sustentando que as essências constituem o princípio de organização da matéria. Ambas eram realistas.

A negação da realidade objetiva dos gêneros e espécies: nominalistas moderados e nominalistas radicais.

Aula 6

A linguagem matemática da natureza; seus efeitos na lógica

Importância da “revolução copernicana” na formação da filosofia moderna. A dúvida cartesiana e a lógica de Port Royal: os esquemas geométricos da razão. Leibniz: o projeto de uma “ideografia universal”.

Princípios da física moderna. Galileu: o livro imenso do Universo está escrito em língua matemática. Foi nessa “língua” que Newton formulou a célebre lei da gravitação universal: F= (G m1 m2) /r2, que expressa a força de atração entre dois corpos quaisquer, medida pelo produto de suas massas dividido pelo quadrado de sua distância.

Aula 7

Lógica e Dialética em Kant, Hegel e Marx; impacto do evolucionismo

Kant: a dialética transcendental e os limites do conhecimento. Hegel: a lógica como processo e o devir do Absoluto; o movimento dos conceitos, a racionalidade do real e a “tríade dialética”. A dialética materialista, a lógica objetiva dos processos e a evolução orgânica. Equívocos da crítica ao “determinismo”: a dialética da natureza e a da história social; a contingência e o aleatório.

Aula 8

A lógica formal moderna e a crítica da linguagem

A teoria dos signos de Charles Peirce. Ícones, índices e símbolos. Significante, significado, interpretante.

A fundamentação integral da lógica a partir da análise radical da função referencial da linguagem por Gottlob Frege, em seu Begriffsschrifte (=“ideografia”). Distinção entre denotação e significação. Exemplo: “a estrela matutina” e “a estrela vespertina” têm sentidos diferentes, mas a mesma denotação (= o planeta Vênus). Já “a estrela mais distante da terra” tem significação, mas não tem denotação (=não é identificada objetivamente).

A teoria da denotação desenvolvida criticamente por Bertrand Russell. O “atomismo lógico” e o cálculo proposicional.

Aula 9

Lógica e Dialética nas discussões filosóficas

Limites da formalização das linguagens científicas: os componentes discursivos na construção do conhecimento. A recomendação de Wittgenstein: fazer silêncio a respeito daquilo que não pode ser exprimido.

Os conflitos da razão e das polêmicas que atravessam a história do pensamento. Cada nova filosofia pretende ultrapassar as anteriores, refutando-as ou desconsiderando suas problemáticas. A irredutibilidade das posições filosóficas antagônicas e a permanência dos grandes temas e questões. A possibilidade de compreendê-las como diferenças culturais e ideológicas.

Aula 10

A lógica na sociedade e na cultura contemporânea

Aristóteles: a comunicação por palavras (pelo “logos”), essência da sociabilidade humana. Fora: fora da “polis”, o homem não é capaz de atualizar suas potencialidades.

É na palavra, suporte e transmissão das ideias, que está a origem da lógica, complexo de regras para o uso racional do pensamento e da comunicação. Implicitamente, o senso comum reconhece que as leis da lógica são as leis da razão: na linguagem corrente, na forma substantivo, adjetivo e advérbio, o termo expressa a racionalidade supostamente operante num processo qualquer: “a lógica de um plano”; “a lógica dos acontecimentos” e a conformidade da conduta individual ou coletiva com a razão: “Fulano (a) é muito lógico (a)”; “Não é fácil agir logicamente se estamos encolerizados”; “É lógico que… (não) vai haver eleição, golpe” etc.

Módulo Retórica, Argumentação e Oratória

Professor: Alysson Leandro Mascaro – Professor da Faculdade de Direito da USP

 

Apresentação da disciplina

O curso de Retórica, Argumentação e Oratória é um dos eixos do Trivium. Busca explicar os fundamentos da retórica e, também, como são construídos os argumentos na escrita, na conversa e nas modalidades típicas de oratória. Tratará das bases históricas e sociais da retórica e, ainda, sobre os argumentos e as técnicas de oratória.

 

Aula 1

Retórica, Argumentação e Oratória

Identificação do campo temático. Relações e distinções entre retórica, argumentação e oratória.

Aula 2

Fundamentos Teóricos I

A retórica na história. A retórica grega. A retórica de Aristóteles. A oratória latina. A retórica e o Trivium medieval. A retórica na modernidade.

Aula 3

Fundamentos Teóricos II

Três caminhos da retórica contemporânea. A retórica analítica. A nova retórica e o razoável. A retórica e a ideologia.

Aula 4

Elementos de Retórica I

O sistema da retórica. Os gêneros do discurso.

Aula 5

Elementos de Retórica II

Os meios de prova. A disposição do argumento. A elocução e a ação.

Aula 6

Elementos de Argumentação I

O sistema da argumentação de Aristóteles. Os sistemas da argumentação latinos. O sistema da argumentação da nova retórica.

Aula 7

Elementos de Argumentação II

Argumentos quase-lógicos. Argumentos fundados na estrutura do real. Argumentos fundantes da estrutura do real. Argumentos de dissociação.

Aula 8

Elementos de Oratória I

O sistema da oratória. Os âmbitos da oratória.

Aula 9

Elementos de Oratória II

O orador e seu auditório. O auditório e seu orador. Técnicas gerais de adequação oratória.

Aula 10

Elementos de Oratória III

Técnicas de oratória em falas típicas. Técnicas de oratória em falas variadas.

Depoimentos

Inscrição

Tenha acesso ao catálogo de cursos exclusivos do KOPE com mais de 400 horas de conteúdo para assistir online, em qualquer lugar, a partir de 35 reais por mês. Sem taxas de cancelamento, você encerra sua assinatura quando quiser.

Trimestral

R$ 43,60

POR MÊS

Ou R$130,80 à vista no boleto

Semestral

R$ 40,00

POR MÊS

Ou R$240,00 à vista no boleto

Anual

R$ 35,00

POR MÊS

Ou R$420 à vista no boleto

Perguntas e respostas

Qual a carga horária?

A carga horária é de 15 horas.

As aulas são ao vivo ou ficarão disponíveis para que cada aluno assista de acordo com a sua disponibilidade?

As aulas são gravadas e começarão a ser disponibilizadas aos alunos a partir de  abril  de 2022.

Qual será o horário do curso?
As aulas serão disponibilizadas de acordo com o cronograma e poderão ser assistidas no horário de preferência do aluno.
Haverá certificado de conclusão?
Sim, um certificado será emitido aos alunos que assistirem a no mínimo 95% das aulas.

Conheça mais cursos

Olá, gostaria de mais informações?